• Destaque

Mountain bike: as preferidas do mercado

O mountain bike, conhecido ainda como MTB, é uma modalidade de ciclismo, mas também se refere à bicicleta ideal para praticá-la. No caso das bikes, são modelos muito difundidos no país, uma vez que além de versáteis são bastante duráveis.

Como esporte, o MTB é praticado em trilhas e montanhas, englobando inúmeros tipos de terrenos, inclusive, subidas e descidas. 

Além disso, divide-se em diferentes submodalidades, como downhill, enduro, cross country, AU mountain, bike trial, bikepacking, BMX, freeride e MTB urbana. 

E mesmo que para os leigos não pareça haver muita distinção entre elas, na verdade, cada uma conta com suas regras próprias, bem como equipamentos e terrenos ideias para pedalar. Ficou interessado no assunto e quer saber mais?

Então, continue lendo este artigo e confira as informações presentes nos tópicos a seguir.

História da mountain bike

O esporte mountain bike apareceu nos anos de 1970, nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia, o que se deu através de um grupo de amigos. Eles costumavam subir o Monte Talmapais, em San Francisco, e descer de lá com as suas bicicletas.

No entanto, perceberam que as suas bikes necessitavam de mudanças, já que a atividade que praticavam causava vários danos a elas. Desse modo, depois de alguns anos, surgiram os quadros especiais, criados por um dos integrantes do grupo.

Já no começo dos anos 80, foi lançada a primeira bicicleta mountain bike, o que foi feito por Mark Sinyard, fundador da Specialized. O modelo se chamava Stumpjumper e foi fabricada em série, quando a modalidade estava bastante difundida, devido aos amigos que realizaram os primeiros campeonatos.

Em pouco tempo, o esporte conquistou a Europa e a Austrália. Assim, em 1990, ocorreu o primeiro campeonato mundial do esporte, mostrando que tinha chegado para ficar. O mountain bike foi tão bem recebido que em 1996 estreava nos Jogos Olímpicos de Atlanta. 

Evolução das bikes para MTB

A bicicleta do mountain bike se caracteriza por contar com pneus mais largos do que os modelos convencionais. Outra característica marcante são os amortecedores traseiros e dianteiros, que têm o objetivo de reduzir o impacto nos terrenos acidentados.

E justamente por sofrer muitos impactos no percurso, essa bike deve receber materiais mais resistentes, mas que ao mesmo tempo não deixem ela pesada, sendo que precisam ter de oito a nove quilos. 

Tudo isso para que se possa pedalar pelos mais variados terrenos, sejam estradas de chão, sejam trilhas em matas, singletracks, estradas rurais e até asfalto. Essas bicicletas também devem garantir boa manobrabilidade e segurança.

Outros cuidados importantes que foram verificados ao longo dos anos é a necessidade da mountain bike contar com pacotes de freios hidráulicos, bem como suspensões mais eficientes. Claro que esses atributos variam de acordo com o nível de habilidade dos ciclistas.

Trilha de Mountain Bike

Características da mountain bike

Hoje em dia, os materiais mais utilizados para as mountain bikes são o alumínio, aço, carbono, cromolibidênio e titânio. As de alumínio se destacam pela sua leveza, resistência e bom custo-benefício, por isso, são as mais vistas.

Desse modo, também são encontradas nos mais diversos estilos, tanto para trajetos mais simples quanto para o que exigem excelente performance. Já as bicicletas de aço combinam com os praticantes do cicloturismo, pois são mais pesadas, além de oferecem os preços mais vantajosos. 

Por sua vez, os quadros de carbono são muito leves e resistentes, porém, exigem alguns cuidados, principalmente, na hora da manutenção, quando é possível danificá-lo. 

Enquanto isso, o cromolibidênio, que consiste em uma mistura feita de carbono, cromo e ferro, ganha em resistência e maleabilidade em relação a outros materiais. Especialmente, são resistentes à ferrugem e à oxidação, embora sejam um pouco mais pesadas e caras.

Por fim, os modelos de titânio, apesar de altamente duráveis e resistentes, são também muito caros e, por consequência, menos comuns. De todo o modo, são bastante desejáveis, porque conseguem ser muito eficientes na hora de absorver os impactos. 

Sistema de suspensão da mountain bike

Quanto ao sistema de suspensão da mountain bike, varia conforme a modalidade do esporte, mas é possível dividi-lo em dois tipos. Um deles tem suspensão apenas na roda dianteira, assim, o sistema de amortecimento está ligado ao próprio garfo. Conta com a vantagem de ter baixo custo, por outro lado, oferece menor controle em descidas. O outro tipo é chamado de suspensão integral, já que possui suspensão nas duas rodas, o que é perfeito para percorrer longas distâncias, apesar de ser mais pesada. E por isso combina com as descidas.

Além dessas características, as bicicletas para mountain bike apresentam demais atributos que podem interferir na submodalidade que se quer praticar. Assim, ao buscar a sua bike ideal não se esqueça de estar bem informado e adquirir o produto de uma marca com credibilidade no mercado.